Imagem capa - Fotografia de espetáculos por Dantas Jr.
De fotógrafo pra fotógrafoDia a dia na Dantas Jr. Fotografia

Fotografia de espetáculos

Acho que a pergunta que mais respondo quando se trata da minha profissão é: "Como faço pra fotografar shows?".


E aí, resolvi contar um pouquinho de como eu comecei.


Eu sempre curti levar câmera pra tudo que era lugar. Antes dos celulares, mesmo com filmes, eu tenho algumas fotos de shows que eu ia e alguns registros bem interessantes.


Foram as fotos de shows que me inspiraram e me fizeram ser fotógrafo.


Fotos de show marcam bem o início da minha carreira. Eu trabalhei um bom tempo da minha vida com eventos e tive acesso a palcos por também ser músico, mas isso não me capacitava a ser fotógrafo de shows, né?


Acontece que eu andava com minha câmera para cima e pra baixo e, sempre que podia, dava meus cliques. E, fotografar show é uma coisa bem complicada no início. Se você não domina ou entende a luz, as fotos ficam borradas, você estoura ou subexpõe as imagens... 


A medida que eu ia estudando fotografia, usava os palcos como um experimento.


Um dia, quando já estava me achando apto, pedi ao Roger, do Ultraje, a oportunidade de fazer umas fotos promocionais da banda em sua nova formação. Isso foi 2011, se não me engano. E ele topou. Por eu ter liberdade e amizade com a banda, a minha primeira sessão de fotos de banda foi super descontraída e natural. Em pouco tempo fizemos vários cliques e me animou para fazer um dos registros mais legais que já fiz, no show daquela noite em BH.


Hoje eu vejo essas fotos e acho até bem simples, mas tem um significado especial para mim. Foi o primeiro registro profissional de um show que eu fiz.


Depois, a medida que ia evoluindo, fui tendo oportunidade de registrar outros artistas em palcos cada vez maiores, vindo a clicar artistas como Ultraje a Rigor, Blitz, Ira!, Angra, Paulo Ricardo, Paul McCartney, Rolling Stones...


Mas, a foto de show tem um diferencial em relação a foto social?


Vou falar aqui o que falo sempre aos noivos quando me contratam e eu conto a minha história. Para mim, não existe muita diferença. Tanto num show, quanto num casamento (ou festa) você tem que estar pronto para sacar a câmera e clicar a qualquer momento. Ficar de olho e acompanhar todos os detalhes sempre.


O fator luz muda o tempo todo e você tem que estar atendo. Estudando as sequências de luz. Observando sombras. Pronto para captar emoções do artista ou do público.


Nem sempre a gente tem o melhor ângulo. Já fiz shows onde estive limitado às laterais do palco, pegando tudo de lado e tive que me desdobrar. Um passo a frente ou pro lado fazem toda diferença na sua foto.


Quanto ao equipamento, claro que as lentes mais claras são um diferencial, mas vou contar um segredo: Fiz muito milagre usando lentes de kit em shows. As famigeradas 18-55mm f/3.5-5.6 já me atenderam muito. E cabem naquela máxima de que não é o equipamento que faz a melhor foto, né?


Hoje, para espetáculos, uso um kit com uma 70-200mm f/2.8, 24-70mm f/2.8 e, às vezes, uma 85mm f/1.8.


Mais do que você pensar em que corpo de câmera usar, pense em ter cartões rápidos. Muitas vezes você precisará fazer sequências de fotos para selecionar uma!


E nunca, eu disse NUNCA, utilize flash! Se você quer ter um resultado legal e ser reconhecido pelo seu trabalho num espetáculo, lembre que um cenógrafo trabalhou em tudo e a luz, as cores... tudo ali tem um motivo. Nossa função é estar ali captando isso. Registrando como foi idealizado. O flash mata toda a ambientação e não vai dar o resultado esperado. Acredite! Por isso, é muito importante que você estude e entenda o comportamento da luz se desejar ser um fotógrafo de espetáculos.


Ao longo desse tempo, comecei a estudar muito, sempre apaixonado pelas fotos de turnês dos meus ídolos, desde Beatles, Elvis, até os dias atuais... Se você olhar lá no passado, numa pesquisa rápida, vai encontrar uns registros bem legais de shows antigos. Todos eles são fontes de estudo.


Se, nisso tudo, você me perguntar o principal a se fazer, eu digo: ESTUDE!


Estude a luz. Estude seu equipamento e como ele se comporta. Mas, principalmente, estude o



 que você irá fotografar. Saiba as músicas, os momentos, conheça um pouco sobre o artista como o que ele costuma fazer, como lida com o público. Conheça trejeitos. Com certeza, isso é um diferencial quando você vai clicar.


Depois farei um outro post aqui detalhando um pouco mais sobre clicar espetáculos e falarei um pouco mais do momento do clique!




Kiko Loureiro e Angra no Circo Voador